Textos

Futebol brasileiro: são mais de 6 décadas sob a égide da corrupção
FUTEBOL BRASILEIRO: SÃO MAIS DE 6 DÉCADAS SOB A ÉGIDE DA CORRUPÇÃO


São mais de 6 décadas sob a égide da corrupção

De João Havellange até Marco Polo Del Nero foram mais de 6 décadas em que o futebol brasileiro foi administrado por gestores comprovadamente corruptos. João Havellange, (não houve investigações nem provas contundentes contra Havellange, todavia é considerado o pioneiro da corrupção no futebol ) , Ricardo Teixeira , José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. Estes três últimos foram banidos para sempre do futebol pela prática de muitos crimes , tais como suborno , lavagem de dinheiro, propina, fraude , dentre outros ilícitos. Embora as principais conquistas de nossa seleção e clubes tenham ocorrido em períodos em que nosso futebol era adminstrado por esses homens é também inegável que os prejuízos que eles causaram ao futebol brasileiro , por meio da corrupção, são altamente danosos sendo ,  inclusive , responsáveis pelo declínio progressivo do futebol brasileiro.

João Havellange, sogro de Ricardo Teixeira, é considerado o pioneiro da corrupção no futebol. Dirigiu a extinta CBD , hoje CBF , por 18 longos anos. O Período de Havellange até Ricardo Teixeira asumir durou 15 anos. Durante esse tempo , houve também denúncias de corrupção, embora de forma mais comedida porque nessa época  o país vivia sob o Regime Militar. Se João Havellange foi o pioneiro da corrupção no futebol , então é pouco provável que a ida do cartola para presidir a Fifa tenha posto fim ao ciclo reconhecidamente implantado por ele.

João Havellange foi presidente da CBD (Atual CBF) de 1956, até 1974 . Também foi presidente da Fifa de 1974 a 1998. "É considerado um dos fundadores da corrupção do futebol e responsável por transformar torneios em grandes contratos por rentabilidades, levando como bandeira subornos velados e como hino complexas estruturas da máfia esportiva. Comandou a Fifa por 24 anos, sendo o único presidente não europeu da história da Federação. O ex-cartola foi o responsável por dobrar o número de seleções na Copa do Mundo, por criar os Mundiais de categorias inferiores, sempre em busca de mercados e alianças polêmicas, marcadas por escândalos e sujeira de bastidores. A característica de visionário no futebol também lhe rendeu a corrupção no peso de sua imagem.
A marca deixada na entidade em 1998 foi a herança mantida por seus sucessores, como Joseph Blatter.." ( Jornal GGN - Por Patricia Faermann)

Almirante Heleno de Barros Nunes dirigiu a CBD de 1975 a 1979. Giulite Coutinho presidiu a entidade de 1980 a 1986. Octávio Pinto Guimarães foi presidente de 1986 a 1989.
Em reportagem da revista Placar Edição 773 ,  publicada em 15 de março de 1985 , há uma matéria na qual se reproduz um discurso feito na Câmara Federal  pelo deputado Márcio Braga denunciando  a corrupção no futebol brasileiro: "...Márcio Braga chega a pedir a renúncia de Giulite Coutinho da presidência da CBF". À época, teve repercussão a reportagem "podres poderes" publicada por Marcelo Rezende na revista Placar,  

Ricardo Teixeira foi presidente da CBF durante o período de 16 de janeiro de 1989 até 12 de março de 2012. Seu quinto mandato em sequência terminou em 2007, entretanto havia sido prolongado, e deveria durar até 2015.
Em 2019 , Ricardo Teixeira foi banido para sempre do futebol pela Fifa por corrupção.

José Maria Marin foi presidente da CBF no período de 2012 a 2014. Em 2015, a Fifa baniu Marin para sempre do futebol por lavagem de dinheiro, conspiração e fraude. José Maria Marin encontra-se preso nos Estados Unidos desde maio de 2015.
Marco Polo Del Nero foi empossado presidente da CBF em 16/04/2015 até dezembro de 2017. Foi banido para sempre do futebol pela Fifa 27 de abril de 2018 por suborno e corrupção.
"Antes de ser banido , Del Nero manobrou para que Rogério Caboclo, seu aliado, fosse eleito, sem oposição e sem qualquer outro candidato na disputa. A mesma estratégia já havia sido adotada por Ricardo Teixeira, quando deixou a CBF em 2012 e escolheu a dedo seus sucessores" ( Veja)
Rogério Langanke Caboclo , atual presidente da CBF, apadrinhado político de Marco Polo Del Nero, foi eleito presidente da CBF em substituição a Del Nero para o período 2019 a 2023.

Obviamente , o declínio do nosso futebol tem como uma das principais causas a corrupção dos quatro principais cartolas que dirigiram o futebol brasileiro por décadas: João Havellange , Ricardo Teixeira , José Maria Marin e Marco Polo Del Nero.
A administração do atual presidente, Rogério Caboclo, é uma incógnita. Só a história irá mostrar se ele teve por base a ética , a moralidade e a honestidade em sua gestão de 4 ou 8 anos ( vai querer ser reeleito) à frente da principal gestora do futebol brasileiro. Não podemos esquecer de que Caboclo é apadrinhado de Del Nero.


Para outras informações sobre investigações de corrupção no futebol brasileiro, compartilho o link do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados que investigou as relações da CBF com a Nike. O Relatório foi publicado em 28/04/2002.

RESUMO: o texto apresenta síntese de partes do Relatório Final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados, que investigou as relações entre a CBF e a multinacional Nike (CPI CBF-Nike), além de aspectos pertinentes ao crescente e inexplicável endividamento da entidade federativa maior do futebol brasileiro.

PARA LER TODO O RELATÓRIO , procure acessar no Google , o link:

https://www.ludopedio.com.br/v2/content/uploads/181423_Ano%20XII,%20N%2017%20Setembro_2001_1.pdf


P.S: Em 2015, instala-se a CPI do Futebol do Senado. Foi encerrada  20/12/2016 de forma inconclusiva , sem nenhum indiciamento. O texto oficial, do senador Romero Jucá (PMDB-RR), não pede nenhum indiciamento como resultado das investigações sobre contratos e negociações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e seus dirigentes. ( Fonte: Agência Senado)


Marcos Antonio Vasconcelos Rodrigues - Redator do Site Eternamente Futebol , acompanha futebol desde os anos 1970. Possui especialização em língua portuguesa e literatura, autor do livro "Palavras do meu sentimento".


EM 27 DE DEZEMBRO DE 2019
Marcos Antonio Vasconcelos
Enviado por Marcos Antonio Vasconcelos em 27/12/2019
Alterado em 05/01/2020
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários